O juiz Anderson Candiotto, da Primeira Vara Criminal, autorizou que Lumar Costa da Silva (28) seja submetido a exame de insanidade mental. Ele confessou ter assassinado e arrancado o coração de sua tia, Maria Zélia da Silva (55), no dia 2 de julho, em Sorriso.

Segundo o magistrado, a decisão atende a um pedido da defesa de Lumar, que quer atestar que o acusado tem insanidade mental, contrariando a decisão do Ministério Público Estadual (MPE).

Lumar Costa da Silva durante a entrevista coletiva na delegacia (foto: Portal Sorriso)

O exame deverá responder três questionamentos:

  • Se Lumar, quando cometeu o crime, era incapaz de entender o que acontecia por causa de alguma doença mental ou desenvolvimento mental incompleto
  • Se o acusado, ao cometer o crime, estrava privado da capacidade de entender o que acontecia
  • Ele necessita o indiciado de tratamento especializado?

O exame será feito em Cuiabá. O sistema prisional deverá encaminhar Lumar até a capital.

Entenda o caso

Lumar matou e arrancou o coração de sua tia na noite da última terça-feira (2), no bairro Vila Bela, na cidade de Sorriso. A vítima foi identificada como Maria Zélia da Silva Cosmos (55). Depois de cometer o crime, ele foi até a casa de Patrícia Cosmos, filha da vítima, e confessou o crime, dizendo ainda que estava com o coração de Maria dentro de uma sacola. Depois disso, ainda disse que era apaixonado pela filha de Patrícia, uma criança de 7 anos, e que iria levá-la com ele.

A vítima, Maria Zélia da Silva Cosmos, e o acusado do crime, Lumar Costa da Silva (foto: reprodução)

Houve discussão e um vizinho da mulher interviu, fazendo com que Lumar roubasse o carro de Patrícia e fugisse. Algum tempo depois, ele invadiu uma subestação da Energisa que fica próxima ao Corpo de Bombeiros da cidade e jogou o veículo contra os motores.

Depois disso tudo, Lumar acabou preso por agentes da Polícia Militar, que informaram que ele confessou o assassinato. Havia sinais de sangue em suas roupas e ele estava “bastante transtornado”. Durante uma entrevista coletiva realizada no dia 10 de julho, Lumar confessou ter assassinado a tia e disse ainda que não se arrependia de ter cometido o crime.

Eu matei ela mesmo, não me arrependo de ter matado. Ela mereceu morrer. Ela estava me sacaneando, me chamando de veado, de drogado e eu só queria paz. No dia eu tinha tomado LSD (droga sintética), e não tinha planejado nada, foi acontecendo.

Durante a entrevista, Lumar ainda disse que ouve “vozes do universo”:

Eu ouço o universo, ele fala comigo sempre. No dia ele disse ‘mata ela logo, ela tem que morrer’.

--------------------
Você sabia que o Portal Weese também está no Instagram, no Facebook e no Twitter? Então não perca tempo e siga a gente por lá.