Durante uma entrevista coletiva realizada na tarde da última quarta-feira (10), Lumar Costa da Silva (28) confessou ter assassinado a tia e disse ainda que não se arrependia de ter cometido o crime. Ele arrancou o coração de Maria Zélia da Silva Cosmos (55) com duas facas de cozinha há duas semanas, no dia 2 de julho.

Eu matei ela mesmo, não me arrependo de ter matado. Ela mereceu morrer. Ela estava me sacaneando, me chamando de veado, de drogado e eu só queria paz. No dia eu tinha tomado LSD (droga sintética), e não tinha planejado nada, foi acontecendo.

Durante a entrevista, Lumar ainda disse que ouve “vozes do universo”:

Eu ouço o universo, ele fala comigo sempre. No dia ele disse ‘mata ela logo, ela tem que morrer’.

Lumar Costa da Silva durante a entrevista coletiva na delegacia (foto: Portal Sorriso)

Apesar dos depoimentos de Lumar, dois dias depois do crime, o juiz da Segunda Vara Criminal em Sorriso, Anderson Candiotto, relatou que não há sinais de insanidade mental em Lumar. De acordo com o investigador Márcio Coutinho, da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Polícia Civil de Sorriso:

A Polícia Civil pretende que ele exponha os motivos da agressão e desse fato macabro que ele cometeu. Chegando aqui na delegacia ele estava tranquilo. Ao mesmo tempo em que ele parece lúcido, ele fala que o universo controla ele. O que dá entender realmente é que ele, no momento do ato, estaria sob efeito de drogas e também sob influência de algum problema psíquico que só especialistas para saber melhor.

Em sua entrevista, Lumar ainda falou sobre a relação que tinha com sua mãe:

A minha mãe é um demônio, aquela praga. Ela me batia, me enforcava, me expulsava de casa. Antes de vir para Sorriso, eu briguei com ela por conta de uma música. Ela pegou facão e quis me matar. Eu devia ter matado aquela desgraçada por tudo que ela fez pra mim.

Entenda o caso

Lumar Costa da Silva (28) matou e arrancou o coração de sua tia na noite da última terça-feira (2), no bairro Vila Bela, na cidade de Sorriso. A vítima foi identificada como Maria Zélia da Silva Cosmos (55).

Segundo informações da Polícia, depois de cometer o crime, o homem foi até a casa de Patrícia Cosmos, filha da vítima, e confessou o crime, dizendo ainda que estava com o coração de Maria dentro de uma sacola. Depois disso, ele ainda disse que era apaixonado pela filha de Patrícia, uma criança de 7 anos, e que iria levá-la com ele.

A vítima, Maria Zélia da Silva Cosmos, e o acusado do crime, Lumar Costa da Silva (foto: reprodução)

Houve discussão e um vizinho da mulher interviu, fazendo com que Lumar roubasse o carro de Patrícia e fugisse. Algum tempo depois, ele invadiu uma subestação da Energisa que fica próxima ao Corpo de Bombeiros da cidade e jogou o veículo contra os motores.

Depois disso tudo, Lumar acabou preso por agentes da Polícia Militar, que informaram que ele confessou o assassinato. Havia sinais de sangue em suas roupas e ele estava “bastante transtornado”.

O corpo de Maria Zélia estava no quarto da casa, de acordo com o perito criminal Nilton Carlos Dalberto. Segundo ele:

Havia duas lesões que abriram o tórax por completo. Muito provavelmente foram utilizadas duas facas. Uma de ponta e outra faca um pouco maior, de fio, para abrir o tórax da vítima. Esse é um fato completamente fora do comum, muito diferente do que a gente está acostumado a atender.

Amigos e familiares de Maria foram até a delegacia da Polícia Civil e realizaram uma pequena manifestação, exigindo justiça contra o homem.

--------------------
Você sabia que o Portal Weese também está no Instagram, no Facebook e no Twitter? Então não perca tempo e siga a gente por lá.