As relações homoafetivas costumam ocorrer, muitas vezes, de maneira privada. Contudo, quando as mesmas emergem sobre esse âmbito, as pessoas envolvidas acabam por correr um grande risco de humilhação e agressão.

Inúmeros são casos de homofobia. Homossexuais são agredidos, espancados ou até mesmo mortos, unicamente devido a suas condições sexuais. Embora haja persistência desse acontecimentos nos dias atuais, os mesmos infringem gravemente os direitos civis do ser humano.

Claramente, os preconceitos têm as sua fundamentação em ideologias arcaicas da sociedades. Diante desse cenário, a conscientização das pessoas acerca da importância do respeito à diversidade é indispensável. Palestras em escolas e programas interativos podem se mostrar úteis na divulgação dessas ideologias. Além disso, a mídia pode colaborar na criação de campanhas e propagandas que conscientizem as pessoas da grande importância da tolerância e do respeito às diferentes formas de relações afetivas.

Não há dúvidas de que o tema deve ser discutidos de forma delicada e sensível, afinal a homossexualidade ainda é um tabu. Na escola ou em casa, as questões relacionadas à sexualidade devem ser abordadas vinculadas ao tema dos direitos e deveres dos cidadãos e do respeito e da diversidade humana.

Nas escolas, a homossexualidade é uma das principais causas de bullying. Sem ter referências sociais e culturais para debater a respeito da identidade de gênero e da orientação sexual, os jovens acabam se referindo com ironia e preconceito aos homossexuais.

Para evitar o constrangimento ou o bullying por parte dos estudantes, a família e a escola devem falar aos jovens sobre a necessidade de se respeitar as diferenças e refletir a respeito da identidade de gênero e da orientação sexual.

Embora não seja fácil, o assunto deve ser debatido na escola.

--------------------
Você sabia que o Portal Weese também está no Instagram, no Facebook e no Twitter? Então não perca tempo e siga a gente por lá.