A Acrimat (Associação dos Criadores de Gado de Mato Grosso) afirmou que apoia a decisão do governo de continuar as negociações com os Estados Unidos para reverter a decisão do governo norte-americano de manter a suspensão da importação da carne bovina in natura do Brasil.

Em nota, a entidade lembra que o Brasil é o maior exportador global de carne bovina. A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, marcou uma viagem ao país para o próximo dia 17, quando deverá se encontrar com o secretário de Agricultura norte-americano, Sonny Perdue.

Entenda o caso

Os Estados Unidos negaram a abertura de mercado para a carne bovina in natura vinda do Brasil, na última segunda-feira (4). O pleito estava incluso nas negociações de uma parceira estratégica acertada em setembro entre os presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro, quando esteve aos Estados Unidos.

O relatório foi feito após uma missão com veterinários norte-americanos, que inspecionou frigoríficos de bovinos e suínos no Brasil em junho deste ano (Foto: JBS/Divulgação)

Na última quinta-feira (31), o governo brasileiro foi informado do veto em relatório encaminhado ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), apontando necessidade de nova vistoria nos frigoríficos brasileiros. O relatório foi feito após uma missão com veterinários norte-americanos, que inspecionou frigoríficos de bovinos e suínos no Brasil em junho deste ano.

Segundo o Mapa, a ministra Tereza Cristina teria ficado “desapontada” com a decisão, mas:

Acredita no excelente relacionamento entre o Brasil e os Estados Unidos para resolver a questão.

O mercado de carne bovina brasileira para os Estados Unidos está fechado desde junho de 2017, devido às reações (abcessos) provocadas nos animais em virtude das vacinas contra a febre aftosa.

-----------------------------
Você sabia que o Portal Weese também está no Instagram, no Facebook e no Twitter? Então não perca tempo e siga a gente por lá.